PlanetaBrasileiro

terça-feira, 24 de agosto de 2021

 Mais uma distinção! Acabei de receber  este aviso que a minha foto dos ciclistas amazônicos foi escolhida como "Favorita dos Juizes" A mensagem vai assim: "Sobre este prêmio

De todas as suas fotos, nossos juízes selecionaram esta foto para o prêmio de favorito do juiz. Este prêmio celebra a diversidade, exclusividade e poderoso impacto de sua fotografia. Estamos empenhados em investir no talento e, todos os dias, milhares de fotógrafos compartilham suas fotos conosco, levando a criatividade adiante. Estamos realmente gratos por você escolher compartilhar seu talento conosco.

 Sinto-me realmente lisonjeado e honrado! Abaixo incluo outras imagens que tem sido contempladas com prémios e "peer awards" ou Premiações dos Pares.


Panorâmica de cinco imagens realizada e Bombinhas Santa Catarina

Esta fusão de um olho com a onda feita na Ilhabela foi classificada como uma absoluta obra prima!



Esta acima, do pescador amazônico, recebeu o prêmio de "Gema Escondida".

Outra considerada obra prima de composição foi esta do ciclista em rua de pedra. Foi feita na rua Duque de Caxias no fim da tarde antes dessa avenida de Uberlândia ser asfaltada. Usei uma teleobjetiva de 300mm.  A situação era que eu estava de um lado de um vale no Bairro Vigilato Pereira olhando para o outro lado do vale região Centro com o córrego da Avenida Rondon Pacheco no meio.
 Ainda outra que tem chamado muita atenção quanto à composição é esta de três meninos brincando nas aguas do Rio Negro na Amazônia. Embora as aguas turvas não tivessem visibilidade nenhuma eles trocavam de lugar usando uma máscara e um snorkel. O sol da tarde e os reflexos junto com o alto contraste da cena me permitiram captar os três criando um perfeito triangulo e uma textura luminosa sem paralelo.
 Na realidade são muitas pois hoje posso dizer que tenho recebido mais prêmios e menções honrosas do que tenho fotos postadas 64/60.  São poucas fotos sim, alguns membros tem milhares. Eu tenho sido econômico porque quero mostrar só o melhor e aos poucos ir aumentando. Estranho é que algumas das minhas favoritas não são as favoritas dos outros. Estou aprendendo muito com isso. Há muitos anos que desenvolvo a minha estética mas sempre aprendo alguma cois dos meus apreciadores.  O meu primeiro mestre foi Ernst Haas com o seu livro A Criação (The Creation) 1971. Antes disso, dos 9 aos 14 anos posso dizer que fui autodidata com a revista Life, que me ensinou tudo sobre a fotografia e a brutalidade da Guerra e dos homens. Por uns anos pensei que fosse destinado a ser um fotógrafo de guerra. O meu icone era o Natchwey, James Natchwey até que decidi como fez Albert Camus na filosofia seguir o caminho da deslumbrante luz do sol e o positivismo diante do absurdo. Foi com grande pesar mas sem muita surpresa que soube do suicidio do meu mestre do pathétique. Depois vieram outros, entre eles é claro Sebastião Salgado e antes dele Cartier Bresson passando por Eugene Smith e outros .









terça-feira, 16 de março de 2021

 Acabei de receber mais uma menção honrosa que compartilho aqui no meu Blog.

<a title="viewbug photo contests" href="https://www.viewbug.com/photo-contests"><img style="width:200px;" alt="viewbug photo contests" src="https://www.viewbug.com/media/images/layout/badges/daydreamer.png"/></a>

I have received a new badge from View Bug. The link is above and the image is below.



sexta-feira, 22 de janeiro de 2021

 Estou ha mais ou menos dois aos no site de fotografia View Bug. Nesse tempo fiz o upload de apenas umas cincuenta das minhas melhores fotografias. Por elas tenho recebido múltiplas menções e premiações.

A última é o Selo Top Class destacando o meu trabalho entre milhões de outros. É realmente uma causa de orgulho. Abaixo imagem dos avisos. 




As minhas fotos podem ser vistas o site www.viewbug.com.

sexta-feira, 13 de março de 2020

São Paulo Urbano

 Já estamos no terceiro mês de 2020. Só agora que consigo Blogar . É falta de hábito. Estou me fazendo a promessa de  postar ao menos uma vez por mês.
Tenho estado muito concentrado desde os meses finais de 2019 e início de 2020. Estou tentando finalizar três publicações  que estão me consumindo muito tempo. Elas são um tutorial em forma de Work book sobre fotografia HDR, e o outro é um livreto sobre Fotografia Panorâmica. O que mais está consumindo meu tempo porém é A Imagem Virtual, um ensaio sobre a história e teoria do Cinema indo dos primórdios antes da Fotografia até mais ou menos os anos 50 ou seja uma linha divisória que vem a coincidir com o Neo-realismo Italiano. Esse recorte tem o propósito de não alongar demais o relato pois é nessa época que "explodem" os cinemas mundiais o que sem dúvida exigiria um segundo volume para incluir não apenas as novas tendências na América, na Europa mas também no terceiro mundo como a Índia a America Latina, Asia, Africa e os países do Oriente Médio. Tudo isso fará parte do segundo volume A Imagem Virtual Volume II.
Bem, postarei mais sobre isto mais para frente. Devo ter alguma coisa concreta por volta de Abril ou Maio.
Hoje, vou postar um pequeno ensaio de fotografias da Cidade de São Paulo onde estou morando desde que aposentei da Universidade Federal de Uberlândia onde estava na cadeira de Fotografia mas ministrava também Cinema e coordenava o laboratório de fotografia e o Núcleo de Vídeo além de ser um dos fundadores da Rádio e TV Universitárias. Recentemente um ex-aluno meu Leonardo Finotti  publicou uma coletânea de fotos de São Paulo no seu site (photos@leonardofinotti.com) e isso me incentivou a fazer o mesmo com o meu acervo. Diferentemente do Leonardo que é hoje internacionalmente reconhecido como "Fotógrafo de Arquitetura", eu sou Fotógrafo Urbano e Paisagista.
Construção na Avenida Interlagos No. 4928
A cidade afinal de contas é também a "Paisagem" dos moradores urbanos que tem a sua própria visualidade que não aquela dos arquitetos e planejadores. Por isso, eu não me preocupo com a Arquitetura "stricto sensu" (porque não me ponho a serviço dos arquitetos) e sim com uma visão de conjunto incluindo os aspectos arquitetônicos (lato sensu) como monumentos, museus e automóveis pedestres, pistas e vias e as outras coisas que constituem o que eu chamo de "paisagem urbana". Dentro  dos aspectos mencionados acima, existem obras imponentes no sentido de ambientes públicos que destaco por seu valor social, histórico, humanizador ou outro que transcende o "private acheivement" ou realização particular do indivíduo.  Dou um exemplo na comparação entre o Walt Disney Music Hall em Los Angeles, e o Centro Cultural São Paulo. O primeiro é uma espetacular carapaça em titânio voltada inteiramente para fora mas na qual ninguém penetra sem primeiro ter "comprado" entrada. A desculpa é claro, e´a intensa programação cultural que ali dentro se desenvolve. Do outro lado, o Centro Cultural São Paulo, não tem exterior mas convida qualquer um para entrar seja ele quem for.
Também não busco apenas o Belo  dentro dessa paisagem, gosto também do feio e do insólito. Diga-se que tento "estetizar" o feio porque ele também faz parte da cidade. Assim, o aspecto "street photography" ou fotografia de rua também está presente em minha pesquisa do visual urbano.
Essa aparente contradição não é minha mas está inerente ao ambiente urbano. Quando arrancamos a  carapaça da epiderme social, se desnuda  a gama entre a arte da elite e a arte do homem comum. Por outro lado, não é difícil ver que alguns empreendimentos são muito dispendiosos em quanto que outros muito baratos (mas não sem expressar um valor estético e porque não dizer irônico). Nesse sentido se tornam evidentes os aspectos  Hight Art e Low Art da minha visão.

ENGLISH VERSION:

We are already in the third month of 2020. It is only now that I can blog. It is a lack of habit. I'm making a promise to post at least once a month.

I have been very focused since the final months of 2019 and the beginning of 2020. I am trying to finish three publications that are consuming me a lot of time. They are a tutorial in the form of a Work book on HDR photography, and the other is a booklet on Panoramic Photography. What is most consuming my time, however, is The Virtual Image, an essay on the history and theory of Cinema going from the beginning before Photography until more or less the 1950s, in other words, a dividing line that comes to coincide with Italian Neo-realism . This cut has the purpose of not extending the story too much because it is at this time that the world cinemas "explode" which would undoubtedly require a second volume to include not only the new trends in America, Europe but also in the third world like India Latin America, Asia, Africa and the countries of the Middle East. All of this will be part of the second volume The Virtual Image Volume II.

Well, I'll post more about that later. I must have something concrete around April or May.

Today, I am going to post a small photo essay of the City of São Paulo where I have been living since I retired from the Federal University of Uberlândia where I was in the chair of Photography but also taught Cinema and coordinated the photography laboratory and the Video Nucleus in addition to being one of the founders of University Radio and TV.

Recently a former student of mine Leonardo Finotti published a collection of photos of São Paulo on his website (photos@leonardofinotti.com) and this encouraged me to do the same with my collection. Unlike Leonardo, who is now internationally recognized as an "Architectural Photographer", I am  on the other hand an Urban and Landscape Photographer.

The city, after all, is also the "Landscape" of urban dwellers and has its own visuality other than that inended by architects and planners. For this reason, I am not concerned with architecture "stricto sensu" (because I do not put myself at the service of architects), but with an overall vision including architectural aspects (lato sensu) such as monuments, museums and pedestrians, cars, streets and roads and the other things that make up what I call the"urban landscape". Within the aspects mentioned above, there are imposing works in the sense of public environments that I highlight for their social, historical, humanizing or other value that transcends the "private acheivement" or individual will.

I'll give an example in the comparison between Walt Disney Music Hall in Los Angeles, and Centro Cultural São Paulo. The first is a spectacular titanium shell turned outwardly, but which no one penetrates without first "buying" entry. The excuse, of course, is the intense cultural program that develops there besides the fact that it is privately owned. On the other hand, the  São Paulo Cultural Center, has no exterior because it is litterally dug into the ground, but invites anyone to enter whoever that may be rich or poor.

Avenida Interlagos, São Paulo 
Nor do I seek only the beautiful within this landscape, I also like the ugly and the unusual. Let it be said that I try to "aestheticize" the ugly because it is also part of the city. It is as tough it has a moral right to co-exist. Thus, the "street photography" aspect is also present in my research of the urban landscape.

This apparent contradiction is not only mine but is inherent in the urban environment. When we strip off the carapace of the social epidermis, the range between the art of the elite and the art of the common man becomes more evident . Nevertheless  it is not difficult to see that some projects are very expensive while others are very cheap (but not without expressing an aesthetic and why not say ironic value ). In this sense, the High Art and Low Art aspects of my vision become evident.

The point is that in that category only projects that anyone can see and anyone can visit are shown to the exclusion of luxury homes that nobody can visit.

Avenida Interlagos 4935F
Avenida Interlagos 4943
 Habitação, Avenida Interlagos 4929
Arte Mural Avenida Interlagos, (autor anônimo)

Panorama Centro Cultural São Paulo -7 imagens



Estação Santa Cruz
Parquinho do Trianon - Paulista

Perspectiva Centro Cultural São Paulo -


 Centro Cultural São Paulo.  Perspectiva 2 - 5 imagens

Panorama Ponte Estaiada, São Paulo. 5 imagens.

Estação da Luz, São Paulo  4 imagens
Estação da Luz, São Paulo - vista externa
Avenida 13 de Maio, São Paulo

Marginal Pinheiros e Avenida Nações Unidas, São Paulo

Viaduto do Chá, Centro, São Paulo

Viaduto do Chá, Centro, São Paulo



Edifício Mirante do Vale,  Centro, SP., panorama vertical


Estação da Luz, Centro, São Paulo -Detalhe-

Edifício Mirante do Vale, Centro, SP
Se alguém disser que não gosta de linhas verticais convergentes está fora da realidade. Esse tipo de distorção faz parte da arquitetura moderna e sem dúvida do olhar fotográfico. Por um lado nas fotografias dos prédios acima mas muito mais como nos cabos da ponte estaiada abaixo.
Ponte Estaiada Octávio Frias de Oliveira, SP
 Entrada Teatro Municipal, São Paulo 
Entrada Lateral, Teatro Municipal.
Poste em bronze Teatro Municipal
Portal de Entrada, Teatro Municipal, São Paulo
Entrada Teatro Municipal - Detalhe
Entrada Teatro Municipal -Estátua Arcanjos-

Entrada Teatro Municipal de SP e poste de iluminação.


Estatua em bronze Teatro Municipal, SP

Complexo comercial entre Avenidas  Nações Unidas e Berrini, SP.
Detalhe campanário Igreja Grega Ortodoxa, São Paulo.


Estátua e poste no centro de São Paulo.
Estátua do Condor, Anhangabaú S.P.

Edifício Mirante do Vale e parque do Anhangabaú

Relógio Centro Comercial de SP

Coffee Shop, Galeria Banco do Brasil, Centro SP

Térreo Galeria Banco do Brasil, Centro, SP

Panorama Vertical, Galeria Banco do Brasil, SP

Vitral Superior Galeria Banco do Brasil, Centro, SP
Poste e Prédio Centro de São Paulo.

Estátua do Índio Anhangabaú, SP.


Fonte dos Cavalos Alados,  Parque Anhangabaú, Centro SP

Rua estreita centro  comercial de São Paulo.


Centro de São Paulo no fim de tarde.
Contraste arquitetônico centro de São Paulo 
-Detalhe-
Edifício na avenida Paulista

Aeroporto Internacional de Guarulhos, SP

Avenida 23 de Maio 
Avenida 9 de Julho 2000
Avenida Washington Luiz
Externa Campus Anhembi Morumbi

Interna Campus Anhembi Morumbi